“ACERVO DE AFETOS”

sw_0018_16b_fcb_timeline_topo

A Galeria Homero Massena completa 40 anos de promoção da Arte no Espírito Santo. Criada em 1977, ela foi o primeiro equipamento de cultura do governo do Estado e grande parte dos artistas capixabas passaram por esse espaço fazendo parte de sua história.

Embora o foco da Galeria seja a produção contemporânea, ela segue para o futuro sem deixar de valorizar o seu passado, seu acervo é testemunha das quatro décadas de atuação no cenário artístico capixaba. A cada ano a Galeria tem se consolidado com o lançamento de novos artistas, fruto dos editais de seleção de portfólios para artistas que nunca fizeram uma exposição individual. Em seu programa inclui além das exposições do edital do Funcultura, mostras do acervo, ações educativas desenvolvidas em cada exposição, visitas mediadas e encontros com os artistas.

O ano de 2017 será de comemoração pelos 40 anos e a Galeria começa o ano comemorativo com uma nova abordagem sobre seu acervo. Pela primeira vez no Espírito Santo um espaço faz uma curadoria pensada na infância e convida a criança a mergulhar no universo da arte de forma interativa e lúdica. Trazer a criança para o museu é uma forma de mostrar que a arte deve fazer parte de seu cotidiano e de seu imaginário.

A Galeria Homero Massena tem a missão de se afirmar, cada vez mais, como um local de produção de conhecimento onde a formação de novos públicos parta de ações que consigam transpor o espaço expositivo e faça parte de uma consciência de cidadania.

Muitos museus mundo a fora tem apostado nessa iniciativa, tanto na Europa como nos Estados Unidos existem grandes museus dedicados a criança, e eles fazem parte de sua construção lúdica e de seu processo educacional. O Museu da Criança do Brooklyn ou Brooklyn Children’s Museum foi o primeiro museu dedicado às crianças do mundo, Fundado em 1899, em um das áreas mais tradicionais da cidade de Nova York. Todas as exposições tem cunho educativo e ensinam as crianças sobre as culturas do mundo, a história, a ciência e a natureza. No Brasil há uma iniciativa mais singela, e nem por isso menos importante, em Salvador – BA, há um espaço no bairro Patamares onde as crianças têm acesso à arte e a cultura local. Em 2016 o MASP  organizou  do seu acervo a mostra “Histórias da infância” que reuniu diversas representações da infância de diferentes períodos, territórios e escolas da arte. Incluindo a arte sacra, barroca, acadêmica, moderna, contemporânea, e a chamada arte popular, bem como desenhos feitos por crianças.

A exposição “Acervo de Afetos” vai buscar na arte naif as representações mais ingênuas para compor seu repertório e construir um primeiro diálogo com a criança através de desenhos, cores e formas dos artistas: Ângela Gomes, Elpídio Malaquias, Nice, Natal e Rômulo Cardozo.

A mostra possibilita ao público ver ou rever importantes peças do acervo a partir de uma nova perspectiva, a expografia foi pensada para o olhar da criança, os quadros serão expostos mais baixos que o habitual e algumas obras receberão um tratamento especial como peças lúdicas para maior interação com o público.

A arte naif como mote da exposição foi uma escolha natural, uma vez que as obras dos artistas, chamados de primitivistas, ingênuos ou instintivos, se identificam instantaneamente, ou intuitivamente, com a infância. O termo naif – ingênuo – se caracteriza pela não utilização das formas convencionais de composição ou do uso científico da perspectiva. A representação onírica do mundo em uma visão idealizada da natureza sem preocupação com a representação realista do mundo é o que aproxima esses artistas da primeira infância e o que nos motiva a realizar a exposição “Acervo de afetos”.

Kyria Oliveira

Galeria Homero Massena
Exposição: Acervo de afetos
Curadoria: Kyria Oliveira
Educativo: Renato Saudino

Abertura: 01 de fevereiro às 19h

De 02 de fevereiro a 15 de abril de 2017
Segunda a sexta: 09 às 18 horas;
Sábado: 13 às 18 horas.

Rua Pedro Palácios, 99, Centro, Vitória – ES

Anúncios