Reverso

O que é o essencial em uma obra contemporânea? Reverso tem na sua genealogia esta pergunta, lançada ao artista no processo de documentação de uma instalação de arte. Modalidade de produção artística de bordas muito flexíveis quanto a materialidade com as dinâmicas que propõem, as instalações representam um desafio particular na documentação museal. Impossível deContinuar lendo “Reverso”

Distâncias do Sentir- Khalil Rodor

Visitação: de 11 de setembro até 09 de novembro de 2019. Numa época em que a guerra na Síria coloca o país na linha de frente de uma crise de refugiados em escala global, a exposição proposta por Khalil Rodor, na Galeria Homero Massena, regasta outro fluxo migratório do povo sírio, ocorrido um século antes,Continuar lendo “Distâncias do Sentir- Khalil Rodor”

O Trauma é Brasileiro – Castiel Vitorino Brasileiro

O Trauma é Brasileiro. É prática nas religiões de matriz africana que, antes de qualquer ação, fala ou rito, reverencie-se os ancestrais, os mais velhos. É uma maneira de lembrar, manter viva a memória dos ancestrais e, desse modo, torná-los contemporâneos, e também de pedir a permissão para que se iniciem os trabalhos. A reverênciaContinuar lendo “O Trauma é Brasileiro – Castiel Vitorino Brasileiro”

Trabalho do chão – Cláudia França

Trabalho do chão é constituído de uma exposição artística propriamente dita, de cunho instalacional, e de ações diversas de formação, interlocução e mediação elaboradas a partir dos principais temas e questões da exposição. A intervenção toma o tema transversal da domesticidade, apresentando-nos uma composição de “casa”, compreendida inicialmente como espaço organizado por móveis e suportesContinuar lendo “Trabalho do chão – Cláudia França”

Ventos em Vênus movem montanhas – Tetê Rocha

O corpo sempre fez parte do imaginário artístico, materializado em diferentes processos, linguagens e materiais, que tanto exaltam suas proporções miméticas ou perfeitas, quanto introduzem simplificações, geometrizações e deformações em suas formas e volumes.  Se por um lado as representações do corpo feminino abarcam uma gama diversificada de temas: musas, santas, modelos, símbolos sexuais, porContinuar lendo “Ventos em Vênus movem montanhas – Tetê Rocha”

Caminhos Possíveis – Rafael Segatto

O Abridor de Caminhos Esta primeira mostra individual do fotógrafo Rafael Segatto (1992) resultou da pesquisa reflexiva e prática que ele desenvolveu com o prêmio conquistado no Edital nº 15 da Secretaria de Estado da Cultura, na categoria Projetos de Exposições de Artes Visuais (2017). O título caminhos possíveis é tão instigante quanto sugestivo. ApontaContinuar lendo “Caminhos Possíveis – Rafael Segatto”

AMAS – Fisionomias e Desmembramentos – Luciano Feijão

 AMAS – Fisionomias e Desmembramentos Luciano Feijão, 2018, vários formatos, nanquim sobre papel, Galeria Homero Massena. A Negra – evocação da infância de Tarsila, das amas de leite, do ambiente ainda impregnado pela dinâmica escravocrata que tanto compareceu nas grandes fazendas onde vivia. Pintura que sustenta o Modernismo brasileiro a partir do “gosto pelo primitivo”.Continuar lendo “AMAS – Fisionomias e Desmembramentos – Luciano Feijão”

Tessitura: Coleção José Ronaldo da Rocha Copolillo & Família

Grandes nomes da arte brasileira reunidos na Galeria Homero Massena em uma exposição inédita no Estado. A exposição Tessitura: Coleção José Ronaldo da Rocha Copolillo & Família traz obras de artistas atemporais como: Levino Fanzeres,  Di Cavalcanti, Djanira, Guignard, Volpi, Clóvis Graciano, Burle Marx, Orlando Teruz, Sonia Ebling,  Amilcar de Castro, Lygia Clark, Tomie Ohtake,Continuar lendo “Tessitura: Coleção José Ronaldo da Rocha Copolillo & Família”

“TÁTICAS DE GRAFFITI E NÃO GRAFFITI” DE RENATO REN

Levantando questões acerca do real espaço da arte urbana Táticas de Graffiti e Não Grafitti, primeira exposição individual do artista plástico Renato Ren, leva à Galeria Homero Massena um registro (fotografias e vídeo) dos trabalhos executados pelas ruas  da Grande Vitória ao longo dos últimos nove meses. No conjunto de ações que compõem essa pesquisa,Continuar lendo ““TÁTICAS DE GRAFFITI E NÃO GRAFFITI” DE RENATO REN”

“O véu do real” exposição de Re Henri

  O véu do real O retrato tem ocupado uma importância central na prática artística de Re Henri. É atualmente ao redor dele que pesquisa e cria seus trabalhos, objetos tridimensionais que constrói a partir de materiais encontrados e modificados. Lidando com assuntos do campo psicanalítico como imaginário, inconsciente e enigma da morte, a artistaContinuar lendo ““O véu do real” exposição de Re Henri”